terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Decisão do Conselho de Justiça

O Conselho de de Justiça, depois de analisar a queixa apresentada pela equipa dos SAD, relativamente ao jogador JOVITO SILVA e FELIPE JESUS para a despenalização dos jogadores do castigo de 5 jogos profere a seguinte decisão:

Dos factos apresentados pelo requerente:
- A equipa dos SAD considera a expulsão do Jovito correta por anular clara ocasião de golo, jogando a bola com a mão
- Consideram então que depois de expulso, o jogador não teve qualquer comportamento incorrecto com os árbitros da partida.
- A equipa dos SAD considera ainda incorrecta a expulsão do jogador Felipe Jesus.

Dos factos apresentados pela equipa de arbitragem:
- A equipa de arbitragem confirma a expulsão do JOVITO por jogar a bola com a mão anulando clara ocasião de golo.
- No relatório da equipa de arbitragem, é mencionado que o jogador em causa após ter sido considerado expulso, proferiu as seguintes palavras: "Vai-te foder... Até metes nojo...".
- O Jogador Felipe Jesus profereu as seguintes palavras: "Vai para o caralho... lá fora falamos.".
- Mais nada é dito no relatório do árbitro.

Dos factos apresentados pela equipa adversária:
- A equipa dos Santana confirma que viu o motivo da expulsão e o corte da bola com a mão, razão pela qual o jogador foi considerado expulso.
- Questionados sobre os insultos, a equipa dos Santana diz não ter prestado atenção, nem ouvido os insultos, na medida que os seus jogadores se juntaram no meio campo defensivo.
- Informam ainda que vários jogadores da equipa dos SAD estavam a falar e a gritar com os árbitros da partida.
- Quanto ao jogador Felipe Jesus, a equipa adversária considera que houve insultos do mesmo à equipa de arbitragem, não se recordando as palavras exatas.
Perante tais factos, o Conselho de Justiça profere a seguinte decisão:

- O jogador JOVITO, da equipa SAD, cortou bola com a mão anulando uma clara ocasião de golo, sendo considerado expulso. (Facto Provado)

- O jogador expulso proferiu, na opinião e relatório da equipa de arbitragem, as seguintes palavras "Vai-te foder... Até metes nojo". A equipa SAD contesta tais palavras e a equipa adversária não se apercebeu do sucedido. O ónus da prova cabia ao atleta e à sua equipa, o que o Conselho de Justiça defende não ter sido realizado.
Considera que, numa competição desportiva amadora ou federativa, a palavra/relatório do árbitro (pressuposto que actuem de boa-fé/lealdade/honestidade) é a palavra da lei.
No caso em apreço, o relatório do árbitro é claro ao mencionar tais palavras, não fazendo o jogador/equipa reclamante qualquer tipo de prova em sentido contrário, defendendo apenas verbalmente que não foram ditas. Assim, dá-se o facto das palavras injuriosas à equipa de arbitragem como provado.

- Quanto ao jogador FELIPE JESUS, o relatório da equipa de arbitragem é claro e a equipa adversária Santana, confirma a existência de tais insultos. A equipa SAD e o jogador não apresentam qualquer prova em contrário. O facto é assim considerado como provado.

Decisão: O recurso intentado pela equipa SAD é considerado indeferido.
Deve manter-se o castigo aplicado ao jogador Jovito Silva pelo Conselho de Disciplina de 5 jogos relativos ao anular uma clara ocasião de golo jogando a bola com a mão, seguida de palavras injuriosas à equipa de arbitragem.
Mantém se também o castigo aplicado ao jogador Felipe Jesus aplicado pelo Conselho de Disciplina.

Coimbra, 10 de Dezembro de 2012
Conselho de Justiça da LAFC

4 comentários:

Esteves disse...

Deixo se calhar uma ou outra ideia para tentar melhorar estas coisas...

1- Hoje em dia toda a gente tem uma camara ou um tlm XPTO, poder-se-ia levar para o jogo. Até poderá ser um instrumento de análise e correção de erros da equipa e em última instância poder provar que alguém fez ou não fez algo (pois é impossível PROVAR o que quer que seja quando os únicos meios são a palavra honesta e imparcial dos intervenientes - pois quando não bate certo, significa que alguém não está a ser honesto o suficiente e pelos vistos os árbitros estão sempre certos...)

2- Havendo um conselho de disciplina não acho correto que se aplique a tabela de castigos estabelecida no ano passado, só estamos a passar a decisão por vezes não justa para outra entidade que não a Organização. Onde é que eu quero chegar, o problema é que se castigam atitudes muito diferentes com os mesmos castigos... Há atitudes e atitudes e é diferente dizer "vai pró c#%&..." com um gesto de repulsa e vir embora, do que dizer "oh meu filho da p#$%, és um ca$%& de m#$%" na cara do árbitro com postura atacante. Claramente que seriam castigos totalmente diferentes. O segundo poderia ir até 5 jogos, o primeiro levaria no máximo 1 ou 2... Se no caso do Jovito os Santana nem se aperceberam de grande coisa, ao contrário do que viram com o Filipe, a deliberação deveria determinar um castigo diferente.

3- A outra solução é um pouco mais complicada, seria outra equipa assistir ao jogo, alguém que estivesse de fora sem estar sujeito à pressão do jogo, pois esta às vezes tolda o nosso juízo e faz com que as decisões nem sempre sejam honestas e imparciais...

Finalmente o ponto principal: Há que haver uma maior compreensão e entreajuda entre todos, eu próprio já refilei com árbitros, mas é no calor do jogo. Nunca faltei ao respeito (não é por mandar um berro pro ar e dizer “Fo#$-#$ é falta” que estou a ser ofensivo para com o árbitro e isto tem que se entender. O impropério faz parte da emoção desportiva, só não o entende quem nunca fez desporto competitivo).

No final dos jogos já pedi desculpa a árbitros por num ou outro lance ter reagido mais a quente. Penso que seria benéfico para todos que no fim do jogo se falasse com calma (quando fosse caso disso), sem entrar em discussões e fazer ver o ponto de vista. Afinal de contas todos nós erramos e o TRABALHO DOS ÁRBITROS É COMPLICADÍSSIMO!! Nenhuma equipa deveria dificultar o que já de si não é fácil. Quanto mais pressão se colocar sobre pessoal que é amador e que está a tentar cumprir as regras, para poder participar numa Liga bem estruturada e que tem sido um sucesso, maior será a probabilidade de erro e maior o sentimento de "só quero é que isto acabe pa me ir embora e se alguém me chateia vai já corrido a vermelho".

Está-se a chegar a um ponto em que as pessoas já vão desconfiadas para o jogo por ser este ou aquele a apitar, e pior, poder-se-á chegar a um ponto em que as pessoas realmente quererão prejudicar este ou aquele por se sentirem injustiçados nalguma situação e isto não é nada benéfico!
Antes de se falar com a Organização ou enviar queixas não sei para onde, falemos primeiro no campo no final do jogo, mostremos já mais a frio que somos todos pelo espírito da Liga e que não andamos aqui a lixar este ou aquele, nem que somos uns insurretos e mal-educados. Sejamos homenzinhos quer para reconhecer os nossos erros e entender os erros dos outros.
Há coisas que realmente não devem ser passadas em claro, mas essas nem com conversas lá se vai e então aí sim, a Organização tem de agir. Temos a possibilidade de fazer uma época desportiva com pessoal porreiro, foi criada uma segunda divisão que é sinónimo de adesão de mais pessoal que quer este espírito de amizade e competição, praquê estragar o que existe? Temos de perceber as consequências do que fazemos, quer como jogadores quer como árbitros. Não abusem do poder que temos com um apito e não abusem da paciência de quem tem o apito!
Vamos é jogar e divertir-nos! Foi pra isso que a Liga foi criada!

Abraço
Esteves

Anónimo disse...

Parabéns Esteves por este incrível esclarecimento. Totalmente de acordo!

Abraço

Tiago Bessa

Anónimo disse...

Obrigado Esteves!

Realmente tens razão. E já agora fica aqui também o esclarecimento que no fim do jogo eu solicitei aos árbitros o número de cartões e o porquê dos vermelhos. A resposta foi: " O Felipe Jesus mandou-me para o ca#$% e o Jovito porque cortou uma jogada de golo"...nunca me falou em palavras do Jovito dirigidas a eles!

Mas realmente o que vale e o que é verdade nesta liga é o que está escrito nos relatórios de alguém que para além de ter ido prejudicar deliberadamente a nossa equipa em campo, ainda teve a coragem de o fazer no relatório.

Relativamente ao que escreves "... e pior, poder-se-á chegar a um ponto em que as pessoas realmente quererão prejudicar este ou aquele...", acho que não é "poder-se-á"...esta equipa de árbitros avisou-nos que se iam vingar de nós (no fim do jogo deles contra os RC Soft). E ainda a semana passada os Rasga Tanga afirmaram o mesmo no jogo que fomos apitar! A Liga nada faz contra isto e sabe, e até tem por escrito, que pelo menos mais uma equipa afirmou que se ia vingar numa próxima arbitragem (desta vez nada haver com a minha equipa)!

Agora está nas mãos da organização isto terminar bem ou mal. Mas aparentemente é fácil aplicar uma tabela de castigos...mesmo com um conselho de disciplina que nem para avaliar um castigo serve.

Abraço,
Fernando Martins
SAD

fagsantos disse...

Visto que o nome da minha equipa veio mais uma vez à baila, venho defender-me.

Os Rasgatanga não afirmaram que se iam vingar de nada nem de ninguém. Apenas se sentiram lesados no desempenho de uma arbitragem da vossa equipa, na qual parecia que se estavam a vingar dos acontecimentos recentes.

Falo por mim (e não coloco as mãos no fogo por mais ninguém): NUNCA apitei nem irei apitar nenhum jogo com o sentido de me "vingar" seja de quem for. Mas também não gosto de sentir isso quando estou a jogar e me sinto injustiçado...

Fernando, não te venhas queixar agora do conselho de arbitragem, nem se o que conta é o que o árbitro escreve... a minha equipa também se sentiu prejudicada por um relatório que fizeste (volto a dizer que não está em causa o castigo, apenas a forma como decorrem as coisas, como não se pergunta nem se averigua as causas com as equipas interessadas, ...).

E mais não digo... tenho mais com que me preocupar.

Bons jogos, FAIR-PLAY desportivo e nas arbitragens. Os jogadores têm de facilitar as arbitragens mas os árbitros também têm de facilitar os jogos!

Filipe Santos